Blog da Morg


Revista gráfica

Posted in jornalismo por Morgana Gualdi Laux em maio 18, 2009
Tags: , , , , , , ,

Criada por Oswaldo Miranda, a Gráfica foi publicada no Brasil desde o ano de 1983, mas apresentava caráter internacional. A revista tem origens no suplemento cultural quinzenal O Raposa, que circulou como encarte no jornal Diário do Paraná. No espaço, ilustradores, cartunistas, escritores e poetas expunham suas idéias e divulgavam seus trabalhos com humor e descontração. Quando publica o seu primeiro número, a Grafica surge em forma de catálogo, para documentar trabalhos presentes em amostras.
Miranda buscou a inovação e o padrão internacional tanto na pauta como no projeto gráfico, esse que tem como principio valorizar os trabalhos publicados na revista. O layout, segundo o criador, tem toque de elegância, de forma discreta. Miranda também gosta de brincar com espaços em branco, de “estourar determinada foto”, mas não exagerando.
Sem dúvidas, a revista é uma das principais publicações de design gráfico do Brasil. A capa de cada uma das publicações da Gráfica caracteriza suas edições como pertecentes a uma série e ao mesmo tempo remete a singularidade de cada exemplar. A identificação se dá também pelo nome da revista e como ele é apresentado. O design da revista é marcante no campo brasileiro, pois há uma relação entre elementos textuais e não textuais destacando a organização da tipografia no espaço visual. A personalidade da publicação é construida a partir de uma determinada ordenação tipográfica, juntamente a demais componentes do projeto. O título, a introdução, a fotografia, assim como os créditos, mas também os textos são elementos chaves na estrutura e planejamento.
Entretanto, o design gráfico da revista inicial foi recebendo modificações, ajustes, atualização ao longo do tempo, sem que sua essência e identidade se perdessem, a sensibilidade em relação à tipografia.Além disso, o logotipo da publicação apresenta caráter mutável nos primeiros 28 números, com variações na forma tipográfica, posição no campo gráfico e escala, composto em Garamond, Helvética, Futura ou uma fonte caligráfica traçada pelo próprio designer, entre outras.
No primeiro momento, a estrutura da Gráfica foi definida em duas colunas por página, que, sendo assim, percorre todo o design gráfico da revista.Nos primeiros números, o corpo de texto é composto em Garamond normal, caixa baixa, justificado, espaçamentos entre letras e palavras, entrelinhas, relação entre corpo e comprimento de linha, favorecendo legibilidade e leiturabilidade. Contudo, durante a década de 1990, certamente a partir do número 29, aparece uma interferência na
legibilidade e leiturabilidade, o corpo do texto passa a ser composto todo em Futura light,
caixa alta, justificado, com espaçamento aberto entre letras, equilibrado com os espaços
entre palavras, sem recuo de parágrafos.
Entre o número 49 e 52, há manifestações também de designers, ou seja, na Gráfica
49 o portfólio de David Carson foi apresentado. Nesse número, ilegibilidade, assim como ruídos visuais estão presentes na revista.
O design gráfico editorial da Gráfica passa por transformações ao longo das edições. Mudanças sutis, assim como também evidentes ocorrem, porém de forma gradativa, refletindo o repensar das escolhas em cada novo número, sem deixar desaparecer seu tema visual geral.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: