Blog da Morg


Glossário de Jornalismo – Por Maria Rosane Ribeiro – Colaboração: Maria Cláudia Oliveira

Posted in jornalismo por Morgana Gualdi Laux em maio 18, 2009
Tags: , , , ,

Ano passado, com muitas dúvidas, no primeiro semestre de jornalismo, resolvi procurar os termos tão dificies que me deparava. Depois de encontrado um ótimo arquivo, coloco a disposição de vocês:

A

Abrir Foto – Ampliar o tamanho da foto na página. Este artifício é usado para valorizar uma foto de qualidade ou cobrir espaço quando o texto é pequeno.
Articulista – Pessoa que escreve artigos para jornais e revistas.
Artigo – Texto opinativo assinado. De responsabilidade exclusiva do autor, pode expressar opiniões diferentes das emitidas pela publicação.
Aspas – Declaração inserida em uma matéria. Atenção: a expressão: Preciso de umas aspas refere-se à necessidade de se inserir um personagem no texto.

B

Baixar – Mandar uma página para as oficinas do jornal. Aí termina o trabalho editorial e começa a parte industrial do processo.
Bigode – Fio de um ponto tipográfico que serve para marcar uma separação visual entre textos e/ou ilustrações. Sua característica é não ocupar toda a medida do material que ele separa. É centralizado nela de forma a deixar margens brancas de igual extensão nos dois lados.
Barriga – Matéria com informações falsas ou erradas.
Box – Recurso editorial que se reveste de forma gráfica própria. Um texto que aparece na página entre fios, sempre em associação íntima com outro texto, mais longo. Pode ser uma biografia, um diálogo, uma nota da redação, um comentário, um aspecto pitoresco da notícia.
“Briefing” – Significa informe. Em jornalismo, pode ser usado em dois sentidos: instruções sobre a execução de uma tarefa ou resumo de informações sobre qualquer evento que uma fonte dá aos jornalistas, quase sempre oralmente.
Buraco – Fato que ocorre quando os textos e fotos ou ilustrações não são suficientes para preencher um espaço previsto. O editor tem como opção aumentar o corpo (tamanho da letra) do texto, aumentar a foto ou a ilustração.

C

Cabeça – Marca no alto da página usada para definir a Editoria responsável pelo trabalho. Em alguns jornais, como no Correio Braziliense, é usada para definir o tema da página.
Cabeçalho – Informações gerais e obrigatórias sobre a publicação. Inclui número da página, título e data da publicação.
Caderno – Conjunto impresso formado por no mínimo quatro páginas. Veja também suplemento e macarrão.
Calhau – Anúncio do próprio jornal usado para cobrir espaço não utilizado na página. O calhau é muito usado para substituir anúncios que ‘caíram’, quase nunca para substituir matérias.
Cartola – O mesmo que retranca ou chapéu. Uma ou mais palavras usadas para definir o assunto da matéria. É usada sobre o título do texto.
Chamada – Pequeno texto usado na primeira página para chamar a atenção do leitor para determinado material.
Chapa – Material metálico como matriz usado para imprimir o jornal. É coberto por uma película fotossensível queimada com a ajuda de um fotolito, revelada e instalada nas rotativas. Sobre ela se aplica tinta para a impressão. Usa-se uma chapa para cada uma das cores básica – Cyan, Magenta, Amarelo e Preto.
Chapéu – É uma palavra, nome ou expressão, sempre sublinhada, usada acima do título e em corpo pequeno, para caracterizar o assunto ou personagem da notícia.
Chefe de reportagem – Profissional que coordena os repórteres, determinando o que estes devem fazer. Nos organogramas das redações esse cargo vem sendo substituído pelo editor-assistente, que é responsável pela produção das reportagens.
Clichê – O mesmo que edição. Termo herdado dos primórdios do jornalismo. Para cada página de jornal era usado um clichê, um suporte metálico onde eram dispostos os tipos metálicos manualmente, formando frases e colunas. Antes da difusão do rádio e da televisão, os jornais tiravam várias edições atualizando o material publicado. Hoje, costuma-se fazer um segundo ou terceiro clichê para atualizar matérias importantes depois do horário de fechamento do jornal.
Clipping – Serviço de levantamento, coleção e fornecimento de recortes de jornais e revistas ou cópias de emissões de televisão ou rádio. O clipping pode ser restrito aos interesses imediatos da empresa ou mais amplo. Em geral, é feito por empresas especializadas.
Cobertura – Atividade do repórter ou equipe de reportagem no local de um acontecimento.
Coluna – Seção de jornal ou revista, assinada ou não, tratando de temas ligados à editoria ou seção. Podemos encontrar colunas nas seções ou editoriais de política, economia, artes, agricultura, esportes, etc. Muitas vezes, uma nota numa coluna de prestígio repercute mais do que uma reportagem no mesmo veículo.

Colunista – O responsável pela coluna.
Copydesk ou copidesque – Termo importado dos Estados Unidos por Pompeu de Souza durante a reforma do Diário Carioca. Na época poucos repórteres escreviam a matéria. Eles chegavam e ditavam o texto para o editor. Pompeu obrigou-os a escrever. Para transformar o texto incompreensível dos repórteres em algo legível existia uma Mesa de Textos (Copy Desk em inglês) com os melhores redatores do Diário Carioca. O termo incorporou-se à linguagem jornalística como sinônimo de redator. E já não existe quase mais. O repórter hoje e quem revisa seus textos…
Copyright – São os direitos reservados ao autor de uma obra ou a quem comprou os direitos do autor. As fotos também têm seus direitos reservados.
Crédito – Assinatura usada em foto ou para marcar material produzido por agência ou outra publicação.
Crônica – Não há compromisso necessariamente com temas da atualidade, como os artigos de opinião; o estilo é geralmente livre (literário) e isento de regras de estilo jornalístico, o tema é de livre escolha do autor, que assina sua produção.
Cruzar informação – Significa confrontar informação originária de determinada fonte com uma fonte independente. Assim, cruzar com uma fonte significa possuir duas origens para uma informação. Cruzar com duas fontes, três. Qualquer informação de cuja veracidade não se tenha certeza deve ser cruzada.

D

Deadline – Último prazo para que uma edição seja fechada ou que uma reportagem seja concluída. Declaração – Texto ou opinião oficial expressa verbalmente por entrevistado.
Dedo-duro – Referência colocada em uma matéria para remetê-la para outro assunto em página diversa. Também conhecida como Leia mais.
Derrubar a reportagem – Termo usado para expressar que uma reportagem não vai ser publicada. Geralmente ocorre quando o repórter percebe que não vai conseguir apurar as informações, quando uma entrevista é cancelada ou ainda quando o editor desiste de abordar o assunto, ou quando entra um anúncio.
Diagramação – Adequação dos textos, desenhos, gráficos e fotos numa página, de acordo com os padrões visuais da publicação.

E

Editar – Preparar matéria para ser impressa ou emitida, nos padrões do veículo.

Editor – É o jornalista que chefia um grupo de jornalistas que compõem uma Editoria .
Editor-chefe – É o jornalista que chefia a Redação do jornal.

Editoria – Seção especializada em determinado setor (esporte, polícia, arte, meio ambiente etc.)
Editorial – Texto com a opinião da publicação. Não vem assinado e geralmente, localiza-se diariamente na 2ª ou 3ª página do jornal.
Enquete – Pequenas entrevistas para levantar a opinião da comunidade.
Enxugar – Resumir um texto. Cada vez mais as publicações exigem que os textos sejam mais concisos, que não desencoraje a leitura. Às vezes também é preciso enxugar para caber na página diagramada.
Espelho – É a previsão do que vai ser publicado em uma página com a inclusão dos anúncios. Não confundir com diagrama. O espelho é feito pelo departamento comercial da editora conforme a previsão do número de páginas pela redação.
Estouro – Ocorre quando um texto é maior que o espaço reservado. O editor normalmente suprime dos textos as últimas linhas ou últimos parágrafos quando ocorre um estouro.
Expediente – Quadro com os dados gerais da publicação. Consta obrigatoriamente a relação de diretores e editores-chefes e endereços.

F

Fato – Entre um fato e uma declaração prefira o primeiro. Descrever um fato com correção e inteligência exige sensibilidade, informação sobre o assunto e conhecimento do idioma. Veja exatidão; importância da notícia; notícia.

Feature – Gênero jornalístico que vai além do caráter factual e imediato da notícia. Opõe-se a “hard news”, que é o relato objetivo de fatos relevantes para a vida política, econômica e cotidiana. Um “feature” aprofunda o assunto e busca uma dimensão mais atemporal. Define-se pela forma, não pelo assunto tratado. Pode ser um perfil, uma história de interesse humano, uma entrevista.
Fechamento – Etapa do processo de edição em que os trabalhos são encerrados. Depois do fechamento não há mais revisão do texto e a edição é enviada para a gráfica.
Fio – Linha usada para dividir textos ou matérias. Também usada para realçar fotos.
Foca – Jornalista iniciante.
Follow- up – Lembrete ou reforço de pauta, por telefone ou contato pessoal.
Fonte – Pessoa que dá origem a uma informação ao veículo, por iniciativa própria ou por solicitação do jornalista.
Fotografia – Recurso essencial do jornalismo contemporâneo. Uma boa foto pode ser mais expressiva e memorável que uma excelente reportagem. No jornalismo, o valor informativo é mais importante que a qualidade técnica de uma foto. São qualidades essenciais do fotojornalismo o ineditismo, o impacto, a originalidade e a plasticidade.
Foto-jornalismo – A fotografia jornalística fixa um acontecimento e as suas impressões. O fotógrafo é o relator, o documentador visual entre a notícia e o público. A imagem nesse caso é o certificado de presença é a prova ao leitor que o jornal estava presente na notícia.
Foto-legenda – Pequena matéria, de no máximo 20 linhas, usada para explicar ou destacar foto.
Fotolito – Filme gráfico negativo usado para queimar a chapa.
Furo – Matéria jornalística exclusiva de grande repercussão.

G

Ganhar na foto – Diminuir a foto na altura ou largura de maneira a ganhar mais texto. O corte não é proporcional.
Gancho – Pretexto que gera a oportunidade de um trabalho jornalístico. Quanto mais pretextos há para a produção de uma investigação jornalística mais oportuna ela é. Quanto mais “ganchos” estiverem por trás de uma edição mais “quente” ela é. Um fato que se ligue, que dê margem a outro, que sirva de ponte, de gancho, enfim, para a notícia …

I

Iceberg – Texto que começa na primeira página e prossegue em páginas internas.
Ilustração – Desenho ou composição gráfica feita à mão para ilustrar determinadas notícias, crônicas ou charges, na ausência de fotografias.
Indicadores – Lista de dados do mercado financeiro em forma de tabela.
Intertítulo – Pequenos títulos colocados no meio do texto. Esse artifício é usado para tornar o texto menos denso. Há publicações que preferem destacar frases retiradas do texto para colocar nos intertítulos.
Infográfico – Artifício gráfico que envolve imagem e pequenas informações de texto que se complementam.
Informe publicitário – Anúncio pago com aspecto jornalístico ou reprodução paga de artigo ou reportagem.

J

Jabaculê ou jabá – Dinheiro ou presente ao jornalista.
Janela – É quando se coloca uma foto menor dentro de uma foto maior para destacar detalhes. Um exemplo é quando se coloca uma grande foto de um incêndio e no detalhe (janela) aparece uma foto do aparelho que causou o incêndio. Esse recurso está em desuso nas publicações modernas.
Jornalismo analítico/opinativo – Os fatos contemporâneos cada vez mais exigem a análise do noticiário. A análise dá ao leitor a oportunidade de se aprofundar nos eventos, questões ou tendências. A análise do noticiário não deve ser confundida com a opinião ou o comentário, que devem estar circunscritos às colunas e aos artigos.
Jornalismo crítico – O jornal não existe para adoçar a realidade, mas para mostrá-la de um ponto de vista crítico. Mesmo sem opinar, sempre é possível noticiar de forma crítica. Compare fatos, estabeleça analogias, identifique atitudes contraditórias e veicule diferentes versões sobre o mesmo acontecimento.
Jornalismo de serviço – Explora temas que tenham utilidade concreta e imediata para a vida do leitor. O jornalismo de serviço torna o jornal um artigo de primeira necessidade e garante seu lugar no mercado.
Jornalismo especializado – A função do jornal impresso mudou com o crescimento dos meios eletrônicos de comunicação (rádio, TV). O leitor busca no jornal impresso, abordagens mais profundas e informações mais sofisticadas, o que requer do jornalista domínio cada vez maior dos assuntos sobre os quais escreve. Só assim o jornalista pode tornar a informação técnica acessível ao leitor comum.

L

Lead ou Lide – Abertura de matéria tradicional. Precisa responder às seguintes perguntas: Quem, quando, onde, porque e de que maneira.
Legenda – Linha de texto colocada sob a foto. Artifício adicional para destacar o tema da matéria.
Lidão – Texto de até 60 linhas usado em reportagens para coordenar matérias diversas sobre um mesmo tema.
Linha de tempo – Dados dispostos em ordem cronológica com fotos e ilustrações. Podem ser colocados na página vertical ou horizontalmente.
Logotipo – É o nome do jornal com as letras em corpo, forma e desenho escolhido pela empresa jornalística.

M

Macarrão – Palavra usada para designar uma folha solta de papel-jornal, em tamanho padrão, inserida entre as páginas de uma edição. O “macarrão” pode ser previamente programado pelo setor industrial do jornal como pode também ser utilizado para aumentar ou diminuir o número de páginas de uma edição.
Mailing – Listagem de nomes e endereços.
Manchete – É o título principal que indica a notícia mais importante do jornal. Existe a manchete principal do jornal (na primeira página) assim como a manchete de cada caderno, seção ou página. Onde encontrar: a manchete é sempre aquela que vier graficamente com maior destaque, ou que tiver letras mais carregadas na tinta.
Matéria – Texto preparado jornalisticamente.
Matéria de gaveta – Aquela matéria que espera a ocasião oportuna para ser publicada.
Matéria Fria – Matéria que independe de sua atualidade para ser publicada.
Memória – Texto preparado jornalisticamente lembrando antecedentes do fato.
Mídia eletrônica – Rádio, TV e Internet.
Mídia impressa – Jornal e revista.

N

Nariz-de-cera – Introdução vaga, sem necessidade, de uma matéria.
Normas de redação – Conjunto de regras usadas para padronizar a produção de textos, títulos e legendas.
Notícia – Registro dos fatos, de informações de interesse jornalístico, sem comentários. Fatores objetivos determinam a publicação de uma notícia: o caráter inédito; o impacto que exerce sobre as pessoas e sobre sua vida; a curiosidade que desperta; a imprevisibilidade e improbalidade do fato.
Nota oficial – Documento impresso com a opinião de uma determinada fonte.
Nota ou balaio – Texto curto usado em colunas. Pequeno texto referente a um assunto que irá acontecer e responde a três questões básicas para compreensão: que, quem, quando.
Numeralha – Box que destaca dados numéricos em uma matéria determinada.

O

Off – Declaração dada sob compromisso de não revelar a fonte.
Olho – Frase destacada sob o título ou no conjunto da página.
On – Declaração sem impedimento de revelar a fonte.

P

Pauta – É uma ordem de serviço transmitida pelos chefes de reportagem. A pauta normalmente indica a pessoa que deve ser entrevistada, local, horário e até mesmo o tamanho da reportagem que deve ser produzida. A pauta também deve indicar os temas principais que devem ser abordados no texto.
Nos jornais, a pauta é feita através de reuniões de pauta, onde editor, redator-chefe e repórter sugerem pautas para que matérias sejam produzidas.
Pauta furada – Informação falsa.
Pé da matéria – É o final do texto. Todo repórter deve ter em mente que se o texto for reduzido, as últimas linhas serão eliminadas.
Cortar pelo pé significa retirar os últimos parágrafos sem se preocupar com a qualidade da informação contida no texto.
Perguntas e respostas – Matéria disposta sob a forma de um questionário. Serve para explicar aspectos do tema.
Perna – Sinônimo de coluna. “Descer em duas pernas”, matéria em duas colunas.
Personagem – Texto para mostrar quem é o ator principal da matéria.
Pescoção – Trabalhar durante a noite e a madrugada para antecipar material de fim de semana.
Pingue – pongue – Matéria em forma de perguntas e respostas.
Plantar – Publicar informação com outro objetivo que não de informar. Geralmente atende a lobby ou a interesses pessoais.
Povo Fala – Enquete com populares sobre determinado assunto (veja enquete)
Press release – Informação preparada pela assessoria de imprensa e encaminhada aos veículos.
Propaganda – Todo jornal sobrevive graças à propaganda. Inerente aos diferentes cadernos do jornal ou em encartes, ilustrada ou fotografada, ela também constitui um elemento de leitura do nosso cotidiano imprescindível para o leitor se localizar e informar a respeito das ofertas do mercado.
Projeto Gráfico – Padronização usada pela publicação para dispor uniformemente matérias, fotografias e adereços gráficos.

Q

Quadro – Box para explicar determinada informação da matéria

R

Rafe – Aportuguesamento da palavra inglesa rough. É o “boneco” de um projeto gráfico.
Reco – Matéria recomendada pelos superiores.
Redator – Jornalista especializado em rever o texto do repórter e em preparar títulos e legendas. Na nova concepção de jornalismo, o profissional não se especializa mais em uma determinada área da produção de texto e edição.
Release – Matéria preparada por assessoria de Imprensa.
Repercutir – Prosseguir num assunto do próprio jornal ou de outro. Veja suíte.
Reportagem – Matéria com grande centimetragem, cobrindo integralmente determinado assunto.
Retranca – Palavra que identifica um texto. “Samba” pode ser uma retranca que identifica um texto sobre as escolas de samba. O ideal é que a retranca tenha uma só palavra.

S

Seção – Sinônimo de editoria ou coluna de opinião ou nota.

Selo – Recurso gráfico que marca uma reportagem uma série de reportagens. É muito comum seu uso em série de reportagens. Normalmente é composto por uma pequena expressão e um desenho que se repete. Por exemplo: “Crise no INSS” pode ser acompanhado de um desenho de uma maca. Todo texto que se refira ao assunto é acompanhado desse selo.
Serviço – Pequeno texto usado no pé da matéria contendo endereço, página web ou telefone de algo citado na matéria.
Side – Termo usado para designar um outro lado da reportagem. São assuntos paralelos que se publicam nos sides. Um texto sobre um jogo de futebol pode trazer um side com o jogador que teve o melhor desempenho na partida.
Standard – Tamanho padrão dos jornais. Mede 54 x 33,5 cm. O único caso no Brasil de jornal que conseguiu sucesso sem ser standard é o Zero Hora, de Porto Alegre, publicado em tamanho tablóide. O tamanho tablóide é a metade do standard.
Stand by – Textos que podem ser publicados em qualquer época. Também são conhecidos como textos de “gaveta”. Um texto que mostre os planos da empresa IBM para o Brasil, por exemplo, pode ser publicado em qualquer época (claro que sem exagero. Esse texto não pode ser publicado um ano depois de ser escrito, mas pode muito bem ser publicado duas semanas depois de ter sido escrito).
Sub – Matéria coordenada com a principal da página; título informal usado pelo sub-editor.
Sub-lead – Parágrafo colado ao lead da matéria.
Suíte – Do francês suite, isto é, série, sequência. Em jornalismo, designa a reportagem que explora os desdobramentos de um fato que foi notícia na edição anterior.Também se usa o verbo suitar no sentido de repercutir.
Suplemento – Caderno adicional ao material principal do jornal.
Sutiã – Pequena linha de texto usada sobre ou logo abaixo do título para destacar informações da matéria. Ver linha fina.

T

Tabela – Gráficos numéricos dispostos ordenadamente.
Tablóide – Formato de jornal igual à metade da página do jornal standard.
Template – Modelo de página, dentro do projeto gráfico, que serve para iniciar o processo de diagramação.
Texto final – É o que vai ser publicado. Com a extinção do cargo do copidesque nos jornais, todo repórter deve ter um texto final. O que ele escreve é o que vai ser publicado.
Tijolinho – Informação contida em roteiros.
Título – Frase usada no alto da matéria para chamar a atenção do leitor (veja manchete).
Toques – Número limite de letras, espaços em branco e sinais ortográficos capazes de caber numa linha de título, legenda, sutiã ou olho.
Tripa – Coluna imprensada por anúncio ou anúncios de grande tamanho.
Trocar figurinha – Trocar informações com colegas do próprio jornal ou de jornais concorrentes.

V

Vazado – Texto claro colocado sobre fundo escuro.
Vazamento – Informação que escapa ao controle da fonte responsável pelo seu sigilo e chega aos meios de comunicação. Às vezes, é do interesse da fonte “vazar” a informação.
Vender a pauta – Sugerir determinado tema ao editor.
Video-release – Release em fita para a tevê.

Uma resposta to 'Glossário de Jornalismo – Por Maria Rosane Ribeiro – Colaboração: Maria Cláudia Oliveira'

Subscribe to comments with RSS ou TrackBack to 'Glossário de Jornalismo – Por Maria Rosane Ribeiro – Colaboração: Maria Cláudia Oliveira'.

  1. Gloria Johnson said,

    Uma pergunta: qual o termo em jornalismo q se aquele q faz ‘a correcao final de um texto evitando assim q algumas palavras se percam (ou nao achem) no contexto…?
    Me deu um branco!
    Mt obrigada


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: